Na hora certa!

Notícias atualizadas do Brasil, Portugal, Itália, Alemanha, Reino Unido e Irlanda

Intro

  • VÍDEOS: Bom Dia Cidade região de Campinas de terça-feira, 12 de novembro
    on novembro 12, 2019 at 11:06 am

    Veja notícias de destaque das regiões de Campinas e Piracicaba. Veja notícias de destaque das regiões de Campinas e Piracicaba.

  • Por inadimplência, Consórcio PCJ aprova exclusão de Paulínia e Sumaré do quadro de associados
    on novembro 11, 2019 at 11:11 pm

    Entidade afirma que cidades somam R$ 1 milhão em débitos não pagos e que vai acionar ambas na Justiça. Ribeirão Quilombo na região de Sumaré e Paulínia; cidades possuem dívidas com o Consórcio PCJ Reprodução EPTV O Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) aprovou a exclusão de Paulínia (SP) e Sumaré (SP) do quadro de municípios associados. Segundo a entidade, as duas cidades possuem, juntas, dívidas que somam R$ 1 milhão referentes ao não pagamento de mensalidades. A exclusão foi aprovada no Conselho de Associados do Consórcio PCJ, que se reuniu na semana passada, e informada nesta segunda-feira (11). O consórcio afirma que ambas cidades foram procuradas, inclusive com visitas presenciais, para oferta de parcelamento dos débitos, mas não houve acordo. Além da exclusão, o consórcio afirma que vai cobrar as prefeituras judicialmente. A mensalidade é cobrada de todos os municípios e empresas associados ao consórcio e serve para manutenção dos serviços da entidade. Em 2018, sob recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP), o consórcio implantou o regulamento de cobrança dos inadimplentes. Com a saída, Paulínia e Sumaré perdem o acesso aos serviços de assessoria e consultoria oferecidos pelo Consórcio PCJ. Dentre eles, a doação de mudas e apoio em projetos de reflorestamento em matas ciliares. "Os municípios perdem apoio e consultoria em projetos de sustentabilidade hídrica e participação e representatividade nos fóruns de debates sobre gestão de recursos hídricos, como o Conselho Nacional de Recursos Hídricos, estância máxima de gestão da água no Brasil, no qual apenas o Consórcio PCJ faz parte em nome das Bacias PCJ", informou o consórcio. Paulínia deve desde 2013 O consórcio informou que Paulínia é o que deve o maior valor. O município está inadimplente desde 2013 e Sumaré desde 2016. Os valores separados não foram repassados pela entidade. O G1 também questionou a mensalidade cobrada para os dois municípios. "As mensalidades dos municípios respeitam uma regra que levam em conta o número de habitantes e arrecadação", informou o consórcio. Paulínia respondeu em nota que a atual administração, que assumiu em outubro, "vem tomando conhecimento da dívida e tentando implementar maneiras de negociar com o Consórcio PCJ o parcelamento da dívida existente ou a execução de melhorias relacionadas ao tema no município". "O caso é acompanhado pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente de Paulínia", completa a prefeitura. Exclusão pode ser revista Segundo o consórcio, a saída dos municípios pode ser revista se ambos solicitarem um novo acordo de parcelamento dos débitos atrasados, além da retomada do pagamento das mensalidades assiduamente. Para isso, as prefeituras devem procurar a Secretaria Executiva do consórcio e reabrir a negociação. O G1 procurou as duas administrações, mas não houve retorno até esta publicação. Veja mais notícias da região no G1 Campinas

  • Campinas monitora 18 áreas de risco para inundação, planeja estudos e pede 'paciência' a moradores
    on novembro 11, 2019 at 10:46 pm

    Secretaria de Habitação fará estudos para tentar evitar remoção das famílias por meio de obras. População convive com alagamentos há décadas. Prefeitura monitora 18 áreas onde podem ocorrer enchentes e deslizamentos em Campinas A Prefeitura de Campinas (SP) mapeou e monitora 18 áreas povoadas que têm risco de inundação ou deslizamento. São locais como o Beco do Mokarzel, no distrito de Sousas, onde 17 famílias sofrem há décadas com alagamentos durante o período de chuvas. O Executivo promete estudos sobre o tema e pede que a população tenha paciência. O secretário de Habitação de Campinas, Vinícius Issa Lima Riverete, afirmou que a pasta fará a contratação de um instituto de pesquisa de tecnologia da Universidade de São Paulo (USP) para realizar os estudos, principalmente em áreas de regularização fundiária, que indiquem possíveis obras para evitar a remoção das famílias. "Pode ser que em algumas dessas áreas, se nós fizermos alguma obra, o núcleo seja passível de regularização", afirmou Riverete. Segundo o secretário, as metas da pasta para 2020 e 2021 vão indicar quais dos 18 pontos de risco da cidade vão receber estudos. "Infelizmente as pessoas vão ter um pouco de paciência e vão ter que dar um voto de confiança". Enquanto não há solução, moradores da Vila Holândia que convivem há anos com alagamentos e perda de móveis, já se preparam para um novo período de chuvas. O local está na lista de 18 áreas de risco. "Eu já perdi colchão, cama, sofá, um freezer, perdi tudo", lembra um morador. Moradora do Beco do Mokarzel, no distrito de Sousas, em Campinas, indica altura da água quando há alagamento Reprodução/EPTV Veja os pontos monitorados pela prefeitura Vale das Garças - Vila Holândia – Risco de inundação Jardim Santa Mônica - Jardim São Marcos - Jardim Campineiro - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Ipaussurama - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Rossin - Jardim Florence II - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Florence I - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Campo Grande - Risco de inundação e solapamento de margens Sousas - Rua Quinze de Novembro "Beco do Mokarzel" - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Novo Flamboyant - "Buraco do Sapo" – Deslizamento Jardim Novo Flamboyant - Instituto Padre Haroldo - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Itatiaia - Jardim São Fernando - Jardim Baronesa - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Andorinhas – Deslizamento Jardim Tamoio - Rua Salomão Abud - Risco de inundação e solapamento de margens Parque Oziel – Deslizamento Jardim Monte Cristo - Jardim do Lago I - Jardim das Bandeiras - Risco de inundação e solapamento de margens Jardim Irmãos Sigrist – Deslizamento Jardim Santo Antônio - Rua Martinica - Risco de inundação e solapamento de margens Parque Universitário - Avenida Aglaia – Voçoroca Jardim Campos Elíseos – Deslizamento Veja mais notícias da região no G1 Campinas

  • VÍDEOS: EPTV 2 região de Campinas desta segunda, 11 de novembro
    on novembro 11, 2019 at 10:43 pm

    Assista aos vídeos das reportagens. Assista aos vídeos das reportagens.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *