Na hora certa!

Notícias atualizadas do Brasil, Portugal, Itália, Alemanha, Reino Unido e Irlanda

Intro

  • Veja programação da última semana do 'Palco Giratório' 2019 em Porto Velho
    on setembro 22, 2019 at 9:30 pm

    Circuito nacional de artes cênicas acontece entre os dias 7 e 27 de setembro na capital. O espetáculo rondoniense 'Tabule' faz parte da programação da última semana. Espetáculo “Meu Seridó” será apresentado no Palco Giratório Brunno Martins A última semana do festival Palco Giratório em Porto Velho vai de 22 a 27 de setembro. A programação contou com mais de 600 apresentações. O evento é gratuito, mediante doação de 1kg de alimento não perecível. O festival acontece no Sesc Esplanada, localizado na avenida Presidente Dutra, 4175, bairro Olaria. Entre as apresentações está a do espetáculo rondoniense "Tabule", que fala sobre a força feminina, imigração e luto. Durante o Madeira Festival de Teatro, o G1 conversou com Junior Lopes, diretor e roteirista do espetáculo; veja vídeo. Confira entrevista com Júnior Lopes, diretor de 'Tabule' Programe-se Domingo (22) - Espetáculo: Cavalo Marinho Grupo: Cavalo Marinho Estrela de Ouro (PE) Indicação: Livre Local: Área de Convivência do Sesc Horário: 18h Espetáculo mistura música, dança e teatro. Durante a apresentação surgem figuras que trazem reflexão sobre as relações de poder, opressor e oprimido, patrão e empregado. Segunda-feira (23) - Espetáculo: Femi-Clown Cabaré-Show Grupo: Cabaré das Rachas (DF) e Mulheres Palhaças de Rondônia Indicação: 18 anos Local: Teatro 1 do Sesc Horário: 20h Segundo os organizadores, artistas de circo, da poesia, das culturas populares e de rua são convidados a um encontro com o trio de palhaças do Cabaré das Rachas. O espetáculo pretende levar o público a pensar sobre o empoderamento feminino. Quarta-feira (25) - Espetáculo: Meu Seridó Grupo: Casa Zoé (RN) Indicação: Livre Local: Teatro 1 do Sesc Horário: 20h A peça de teatral vai tentar trazer o sertão do Rio Grande do Norte a Porto Velho durante "Meu Seridó". A sinopse diz que o espetáculo fala sobre a relação do homem com a Terra. Tudo com muito humor, música e boas doses de reflexão. Quinta-feira (26) - Espetáculo: Tabule Companhia: Peripécias de Teatro (RO) Indicação: 12 anos Local: Teatro 1 do Sesc Horário: 20h A peça conta a história de uma imigrante libanesa no Brasil que enfrenta os desafios de ser mulher longe de casa. Sexta-feira (27) - Espetáculo: Chocobrothers Grupo: Chocobrothes (SP) Indicação: Livre Local: Quadra de esportes do Sesc Horário: 20h Segundo a sinopse, a apresentação é cheia de de ritmo, brilho e glamour, combinando diferentes técnicas circenses, como barra fixa, malabarismos e equilíbrio com o bom humor.

  • 'Pai sequer derramou uma lágrima', diz delegado sobre caso da menina de 2 anos espancada até a morte em RO
    on setembro 22, 2019 at 7:38 pm

    Pai e madrasta são investigados pelo crime. Caso ocorreu no fim da manhã do sábado (21) no Bairro Marechal Rondon, em Ariquemes (RO). Criança morre após ser espancada em Ariquemes Rinaldo Moreira/G1 "O pai sequer derramou uma lágrima pela morte da própria filha", afirmou o delegado Rodrigo Camargo da delegacia de Homicídios de Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, sobre o caso Lauanny Hester Rodrigues, que tinha dois anos e foi morta pelo pai e a madrasta. O crime aconteceu no fim da manhã de sábado (21) no bairro Marechal Rondon. De acordo com o boletim de ocorrência, o crime se tratava de homicídio doloso, mas após o interrogatório dos envolvidos, o delegado responsável pelo caso afirmou ao G1 que os acusados responderão por homicídio qualificado. "Foi encaminhado o cadáver da criança ao IML [Instituto Médico Legal]. Lá foi constatada hemorragia interna com lesões no fígado, no coração e também nos pulmões. Tudo decorrente do espancamento. A morte foi causada por espancamento. Uma covardia e de forma muito cruel". Corpo da criança foi encontrado dentro da casa, em Ariquemes Rinaldo Moreira/G1 Rodrigo conta que ao chegar no local do crime, após receber uma chamada da Central de Atendimentos da Polícia, percebeu que a casa estava desorganizada. Os responsáveis pela menina não estavam na residência quando o corpo foi encontrado. "No local havia uma sala com alguns objetos revirados. A casa era totalmente insalubre e sem condições de higiene, mostrando que ali viviam pessoas que faziam o uso de drogas, me lembro que havia um pacote de farinha virado". Enquanto uma guarnição investigava o local, segundo o delegado, outra foi enviada para fazer a busca dos suspeitos: o pai, identificado como William Monteiro da Silva de 25 anos, e a madrasta, Ingrid Bernardino Andrade de 23 anos. "Eles foram encontraram na beira da praia do Bairro Marechal Rondon deitados embaixo de uma árvore. O pai sequer derramou uma lágrima pela morte da própria filha. Eles foram conduzidos à delegacia para interrogatório", afirma. O filho do casal, um bebê de 5 meses, que também estava na prainha foi encaminhado ao Conselho Tutelar. Interrogatório Na delegacia, Rodrigo Camargo conta que os suspeitos descreveram toda ação que iniciou na madrugada de sábado (21). "Eles afirmaram que na madrugada a criança acordou por volta das 2h40, foi para cozinha e começou a mexer nas coisas, entre elas acabou rasgando o saco de farinha e fazendo sujeira. Diante disso, para corrigir a criança, acabaram batendo nela e botando de castigo", explica o delegado. Após isso, os investigados voltaram a dormir. Quando acordaram, por volta das 10h a criança estava brincando em cima de uma mesa e acabou derrubando algumas coisas. Com isso, o delegado diz que os suspeitos voltaram a agredir a menina como forma de correção. "Porque a criança rasgou o saco de farinha acabaram espancando ela até a morte", diz o delegado. De acordo com Camargo, tanto o pai como a madrasta mentiram durante o interrogatório. "Eles falaram que a criança estava tomando banho e que por volta das 11h a encontraram desmaiada e por isso que ela tinha lesões. Eles também alegaram que a criança havia ingerido detergente, um produto químico e por isso que ela foi agredida e que a morte dela ocorreu por ingestão desse produto. O que é mentira, porque pedimos um laudo para o médico legista verificar a secreção estomacal da criança. No resultado deu que estava normal". Entenda o caso No final da manhã do último sábado (21) a Polícia Militar (PM) foi acionada após uma chamada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que foi realizada por moradores do bairro Marechal Rondon em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, que relataram ter ouvido uma criança sendo agredida. A vítima, uma menina de 2 anos, foi identificada como Lauanny Hester Rodrigues, que morreu após ser espancada pelo pai e a madrasta na casa onde morava. A criança apresentava múltiplas fraturas graves no corpo, segundo o médico Mauro Lopes, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Ela estava politraumatizada [com traumatismos múltiplos]. Havia fraturas no crânio, tórax, quadril e abdômen. Tentamos fazer manobras de ressuscitação, mas infelizmente eram muitas pancadas graves, evoluindo para óbito", relata o médico que atendeu o caso. Veja mais notícias de Rondônia

  • App para ajudar na coleta de dados sobre queimadas na Amazônia é desenvolvido em RO
    on setembro 22, 2019 at 5:13 pm

    "Olhos de Águia" foi criado por um analista de Porto Velho. Objetivo do aplicativo é ajudar nas missões de combate às queimadas. Foto mostra contraste com área queimada em Vilhena Herbert Weil/Arquivo Pessoal Um aplicativo desenvolvido em Porto Velho ajuda na coleta de informações sobre queimadas na Amazônia. "Olhos de Águia" foi criado pelo analista do Centro Gestor e Operacional do Sistema da Amazônia (Censipam), Mario Fraga, para registrar, por meio de fotos e coordenadas geográficas, novos focos de calor na região. Conforme o Ministério da Defesa, o aplicativo já começou a ser usado por agentes de órgãos parceiros do Censipam, como Exército, Força Aérea Brasileira e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), durante ações de combate às queimadas. Ao G1 Mario Fraga disse que a ideia para criação do aplicativo surgiu uma semana depois da assinatura do decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que tenta controlar queimadas na floresta amazônica. Aplicativo "Olhos de Águia" coleta informações sobre a Amazônia Legal brasileira. Ministério da Defesa/ Divulgação O app foi desenvolvido para ser uma nova fonte de informações e melhorar o planejamento das missões de campo. Como funciona o aplicativo? "Olhos de Águia" foi criado para ser utilizado por órgãos ambientais, mas não há restrição para civis. Qualquer pessoa pode baixar o app, que está disponível gratuitamente nos sistemas Android e IOS. Em caso de passar por uma região de queimada, o usuário preenche os campos com informações sobre intensidade do fogo, latitude e longitude. Também é possível enviar uma foto do local. As referências serão adicionadas ao banco de dados do aplicativo assim que o celular se conectar a internet. Aplicativo "Olhos de Águia" pretende ajudar no combate às queimadas na Amazônia. Reprodução "Minha intenção é ajudar quem está em campo combatendo as queimadas. Se alguém passar por um foco de calor pode marcar aquele ponto no aplicativo e a central de comando vai receber a coordenada geográfica e a foto do local. Com isso, vamos conferir se a informação bate com nossos satélites e então partimos para missões de campo", explicou Mario. O analista reitera que o aplicativo é uma ferramenta para ajudar na apuração de queimadas na Amazônia e não pode ser usado como fonte oficial sobre o número de focos existentes. "Se uma pessoa mal intencionada preencher informações falsas no aplicativo é muito fácil de ser rastreada. Antes de sair para uma missão de campo aquele dado é confirmado via satélite", disse. Ainda não há um levantamento da quantidade de missões feitas a partir do app. Initial plugin text

  • Aprenda a fazer bolinho de tambaqui
    on setembro 22, 2019 at 2:40 pm

    Receita foi exibida no Rondônia Rural deste domingo (22). Receita de bolinho de tambaqui diretamente de Ariquemes (RO) Reprodução/Rede Amazônica O tambaqui é carro chefe da piscicultura no estado de Rondônia e popular pela versatilidade dentro da gastronomia. Neste domingo (22), o Rondônia Rural apostou no sabor desse peixe com uma receita de Ariquemes (RO). Abaixo, veja o que é preciso para esta receita: Culinária: Tem bolinho do peixe mais produzido em Rondônia Para 1kg de tambaqui moído: 1 cebola pequena picada 12 pimentas de cheiro picadas Meio pimentão picado Meio maço de cebolinha verde 2 ovos inteiros 6 colheres de azeite de oliva 1 xícara de chá de farinha de trigo Sal Pimenta Açafrão Como fazer? Receita de bolinho de tambaqui foi exibida do Rondônia Rural deste domingo. Reprodução/ Rede Amazônica Em uma vasilha de vidro o cozinheiro Edilson Beleza Souza colocou o tambaqui e na sequência acrescentou os ovos, as pimentas de cheiro picadas, o pimentão, a cebolinha, cebola, farinha de trigo, azeite de oliva, uma pitada de pimenta do reino, açafrão e finalizou com sal. Logo após, com as mãos, o cozinheiro misturou os ingredientes para que o peixe fique com sabor uniforme. Nesse passo, prestar atenção no ponto da massa é essencial, a dica de Edilson é checar a consistência. Depois é só dar forma aos bolinhos. Antes de fritar, o segredo é resfriar as bolinhas por 1 hora.

  • Você viu? menina tem corpo incendiado por padrasto, bebê é espancada até a morte pelo pai e madrasta e as mais lidas do G1 RO
    on setembro 22, 2019 at 1:56 pm

    Veja os casos que chocaram a internet entre 15 e 21 de setembro. A história de uma menina de 12 anos que teve o corpo incendiado pelo padrasto e o caso de uma bebê de 2 anos que foi espancada até a morte pelo pai e madrasta chocaram a internet e estão entre as matérias mais lidas do G1 Rondônia entre 15 e 21 de setembro. Conflitos agrários também marcaram a semana, antes de sair da Procuradoria Geral da República Raquel Dodge, pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que os casos de assassinatos e torturas envolvendo líderes comunitários de Rondônia sejam federalizados. E a Polícia Federal descobriu que advogados e topógrafos ajudavam grileiros no desmatamento dentro do Parque Nacional do Pacaás Novos e Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, na região de Nova Mamoré (RO), fronteira com a Bolívia. Confira as matérias mais lidas entre os dias 15 e 21 de setembro: Domingo (15) Menina teve queimaduras de 1° e 2° graus nas pernas, em Porto Velho Arquivo Pessoal Jovem pula no Rio Madeira e desaparece; pai ainda tentou resgatar o filho em RO Padrasto é preso por atear fogo em menina de 12 anos, em Porto Velho Aprenda a fazer bolo de tapioca com geleia de açaí Segunda-feira (16) PGR pede que crimes em conflitos agrários em Rondônia sejam investigados na esfera federal PGR pede federalização de mortes e torturas envolvendo conflitos de terra em Rondônia Mais de 10 mil pessoas participam da Cavalgada na abertura da 40ª Expojipa, em RO Após 3 meses, termina vazio sanitário e plantio de soja é liberado em RO Terça-feira (17) Operação Terra Protegida foi realizada em Rondônia PF/Divulgação PF descobre advogados e topógrafos ajudando grileiros no desmatamento de parque e terra indígena, em RO Jovem é preso com 10 kg de maconha a caminho de Porto Velho Porto Velho tem a maior taxa de estupro entre as capitais do Brasil Equatorianos são presos com cocaína diluída em xampu, na BR-364 Quarta-feira (18) Carro havia sido roubado, ainda sem placa, de caminhão-cegonha em GO PRF/Divulgação Rondônia pode ter temporais isolados na quarta-feira, 18, diz Sipam Carro roubado é recuperado após mulher fazer ultrapassagem proibida, em RO Assembleia aprova CPI para investigar serviços da Energisa Rondônia Quinta-feira (19) Ueliton Aparecido da Silva foi condenado a mais de 35 anos de prisão pela morte de Joselita Félix Mayara Subtil/G1 Mãe de acusado de matar professora diz que 'fará de tudo' para tirar filho da cadeia, em RO Pai de professora morta a pauladas fala ao júri sobre ex-genro: 'Lobo em pele de cordeiro' 'Rambo 5: Até o fim' é a estreia da semana em Ariquemes, RO Sexta-feira (20) Protesto da saúde foi feito na frente do João Paulo II em Porto Velho Priciele Venturini/Rede Amazônica Bebê vítima de suposto estupro morreu por asfixia, diz delegado de Porto Velho Operação da PF prende grupo que invadiu e desmatou assentamento em RO Profissionais de enfermagem fazem protesto na frente do Hospital João Paulo II, em RO Motorista capota caminhonete oficial após ingerir bebida alcoólica em Porto Velho Sábado (21) Raio atinge Vilhena durante temporal Herbert Weil/Arquivo Pessoal Menina de 2 anos é espancada até a morte pelo pai e madrasta em RO Foto mostra super-raio atingindo Vilhena, RO, durante temporal Menina espancada até a morte tinha muitas fraturas no corpo, diz médico do Samu em RO

  • Ana Lídia Daibes no JN 50 anos: telão no shopping, 'aula de geografia' e a repercussão na internet
    on setembro 22, 2019 at 11:53 am

    Público vibrou quando Ana Lídia destacou a diferença entre Rondônia e Roraima. Philipe Lemos, do Espírito Santo, dividiu a bancada com a portovelhense no último sábado (21). Público se reuniu na praça de alimentação do shopping de Porto Velho Diêgo Holanda/G1 A presença da jornalista de Rondônia, Ana Lídia Daibes, na bancada do telejornal mais famoso do país, levou centenas de pessoas ao shopping de Porto Velho no sábado (21). Um telão foi montado na praça de alimentação para exibir o Jornal Nacional. Junto com Philipe Lemos, do Espírito Santo, a jornalista portovelhense integrou o rodízio de apresentadores em comemoração aos 50 anos do JN. Nos 50 anos do JN, teste seus conhecimentos sobre o jornal Desde o fim da tarde, quando eram exibidas as chamadas do jornal na programação, as pessoas já estavam atentas ao telão. Sempre que Ana Lídia aparecia, o local era tomado por aplausos e gritos do público. Família acompanhou o Jornal Nacional pelo telão montado no shopping Diêgo Holanda/G1 O servidor público Zeca de Paula foi até o shopping com a esposa Kelsilene Rodrigues e a filha Raíssa Rafaela para acompanhar o jornal pelo telão. "Tô achando bacana, até porque a gente nem esperava isso de alguém daqui de Porto Velho. Fiz questão de vir com a família", disse Zeca. "Aula de geografia" Um dos pontos altos da edição do JN foi o momento em que a jornalista da Rede Amazônica chamou a previsão do tempo. Na interação com Anne Lottermann, Ana Lídia lembrou da confusão que costuma ser feita com a localização das capitais de Rondônia e Roraima. "Aproveitando que a gente vai estar com o mapa, você acredita que tem muita gente que confunde Rondônia com Roraima? Eu sou de Rondônia e sinto isso na pele", interagiu Ana Lídia. "Então vamos mostrar aqui no telão onde fica Rondônia e onde fica Roraima" concordou Anne Lottermann. O momento foi acompanhado com gritos de euforia de quem assistia o jornal no shopping. E na internet, minutos depois, o público já repercutia o assunto. Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text A Ana Lídia não apresentou o JN com esse "uniforme", mas os telespectadores de Rondônia aproveitaram a ideia. "Foi muito por acaso essa foto. Fizemos as camisetas para vir em um congresso de engenharia e estávamos com elas bem na hora que a Ana Lídia falou com a mulher do tempo sobre Rondônia/Roraima", comentou Felipe Monclair. Grupo usou camiseta personalizada para assistir Ana Lídia no Jornal Nacional Cláudia Mezzomo/ Arquivo pessoal A contadora Lilian Lima e o jornalista Renato Pereira também prestigiaram a jornalista da Rede Amazônica. "Essa foi boa pra quebrar de vez esses erros que acontecem. O pessoal faz muita confusão então foi bacana", comentou Lilian sobre a explicação feita na previsão do tempo. "É mais do que merecido. Tive o privilégio de trabalhar com ela, então sei da competência do profissionalismo, da responsabilidade que ela tem. Todo mundo gosta dela, é muito querida pela população toda", disse Renato. Jornalista Renato Pereira e a esposa Lilian Lima prestigiaram a apresentadora de Rondônia Diêgo Holanda/G1 Para o gerente de jornalismo da Rede Amazônica Rondônia, Benedito Teles, felicidade define o sentimento da equipe ao ser representada por Ana Lídia no JN. "É uma conquista individual dela pelo talento e pela capacidade fora do comum que ela apresentou durante toda a carreira e ao mesmo tempo acaba sendo uma conquista de toda a equipe que sempre lutou por um jornalismo de qualidade. É uma conquista de Rondônia ter uma profissional tão talentosa na bancada mais famosa do Brasil", comemorou. Família e amigos de Ana Lídia Daibes acompanharam emocionados a apresentação dela no Jornal Nacional Ruan Gabriel/Rede Amazônica Em outro ponto da cidade, familiares e amigos da apresentadora se reuniram para prestigiar a primeira rondoniense a apresentar o JN. Muitos se emocionaram ao ver a jornalista dando destaque ao estado, especialmente no encerramento, quando ela convidou o público para conhecer Rondônia.

  • Triagens da Operação Justiça Rápida são realizadas no final de setembro em Vilhena, RO
    on setembro 22, 2019 at 12:15 am

    Atendimentos são realizados de 30 de setembro a 5 de outubro. Audiências estão previstas para o mês de novembro, no Fórum do município. Triagens e audiências dos casos da Operação Justiça Rápida acontecem no Fórum de Vilhena Eliete Marques/G1/Arquivo As triagens da Operação Justiça Rápida Itinerante chegam a Vilhena (RO), no Cone Sul, neste mês de setembro. Os atendimentos serão realizados até 5 de outubro. As audiências estão previstas para acontecerem no dia 8 de novembro. Segundo o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), o programa atende ao público com serviços como certidões de nascimento, retificação de certidões com erro material, justificação para lavratura de certidão de nascimento, alimentos e visitas para os filhos e guardas de menores, além de cobranças, divórcio amigável, reconhecimento de paternidade e emissão de documentos. Os interessados devem comparecer aos locais das triagens portando RG, CPF, comprovante de residência e outros documentos que ajudem a comprovar o direito que será reclamado. As triagens acontecem de 30 de setembro a 4 de outubro no Fórum Desembargador Leal Fagundes, das 14h às 18h. E no dia 5 de outubro na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Hermógenes Roberto Nogueira, localizada na Avenida Vitória Régia, 2151, Bairro Jardim Primavera, das 8h às 17h. As audiências acontecem no dia 8 de novembro das 7h às 15h também no Fórum Desembargador Leal Fagundes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *