Na hora certa!

Notícias atualizadas do Brasil, Portugal, Itália, Alemanha, Reino Unido e Irlanda

Intro

  • Padrasto de Danilo respondia na Justiça a outro processo por agressão a ex-mulher
    on novembro 12, 2019 at 11:21 am

    A Polícia Civil divulgou que após a aparição de José Roberto diversas denúncias têm chegado ao conhecimento da comissão de delegados do ’caso Danilo’ sobre crimes praticados por ele. O mais recente foi que ele já respondia a um processo criminal por agressão contra sua ex-companheira. O crime ocorreu em 2014 e as agressões iniciaram depois de um longo período do relacionamento. A vítima relatou para Polícia, que no início do relacionamento Roberto tinha comportamento normal, mas depois de alguns meses, ele começou a xingá-la com palavras de baixo calão e tempos depois começou a agredi-la fisicamente.  Numa das agressões José Roberto deu um soco na boca da ex-mulher e outros socos no braço da vítima. Na época, o filho da vítima chegou a acionar a polícia militar para prender José Roberto em flagrante, mas ele acabou fugindo. A mulher ainda chegou a fazer exame de corpo de delito comprovando as lesões, no entanto, no dia marcado para audiência José Roberto não compareceu e o processo acabou sendo arquivado. Na época desse relacionamento não havia crianças na residência. Segundo o delegado Fábio Costa, todas as denúncias estão sendo cuidadosamente analisadas e pela segunda vez é confirmada. A primeira diz respeito a um caso ocorrido em Arapiraca cujas vitimas são uma ex-companheira e sua filha, na época, com apenas 10 anos de idade. As vítimas relataram que sofreram tentativa de homicídio, lesão corporal, estupro de vulnerável, sequestro e cárcere privado.  O local para a prática dos abusos seria uma oficina de bicicletas de propriedade de José Roberto. Sobre o caso Danilo a polícia civil confirma que está avançando numa linha de investigação, mas não irá revelar detalhes nesse momento.

  • Investigação aponta que policiais civis construíram patrimônio com extorsões contra comerciantes; veja vídeo
    on novembro 12, 2019 at 11:12 am

    Na segunda fase da Operação Navalha, as investigações da Polícia Civil apontaram que o grupo formado por policiais civis tiveram um enriquecimento ilícito e construíram patrimônio com as extorsões contra comerciantes do Mercado da Produção. A segunda fase foi deflagrada nesta segunda-feira (11) e resultou na prisão do Policial Militar Carlos Alberto Tenório Cavalcante Filho e da Policial Civil Laryssa Manuela Magalhães da Silva, além de mais dois indivíduos, não policiais. De acordo coma DEIC, o grupo foi flagrado no Mercado da Produção, portando armas e distintivos, trajando uniformes da Polícia Civil de Alagoas e de posse de veículo travestido de viatura, praticando o crime de concussão, isto é, exigindo vantagens indevidas de comerciantes do local. “O aprofundamento da investigação demonstrou, todavia, que o grupo formou verdadeira organização criminosa para, com a utilização do aparato da instituição, permitir-lhes o enriquecimento ilícito às custas de extorsões promovidas contra cidadãos alagoanos”, informou a Deic. Foram cumpridos na tarde de segunda-feira mandados de prisão preventiva em desfavor de Gabriel Yuri Gomes dos Santos Rocha, Samarone Mendes Gonçalves, Austerlígenes da Silva Souto, Max Antônio de Andrade (dois mandados) e mais uma ordem de prisão contra Laryssa Manuela Magalhães da Silva, já presa desde 30/07/2019. A somar, também foi decretada a prisão preventiva de Juarez José da Silva, que se passava por policial nas ações criminosas do grupo e está foragido. Max Antônio de Andrade ainda teve uma segunda prisão decretada após ter sido demonstrada na investigação a sua participação na ação ilícita que culminou na deflagração da primeira fase da operação. Mesmo estando no Rio de Janeiro, o policial era mantido informado de toda a evolução das ações do grupo em Alagoas, bem como foi gratificado com parcela do produto do delito. Além das prisões, também foi decretado o afastamento cautelar dos agentes públicos de seus cargos na Polícia Civil bem como a suspensão de suas autorizações para portar arma de fogo.  

  • Rui Palmeira – um senador que marcou época
    on novembro 12, 2019 at 10:48 am

    Com o fim do Estado Novo (1937 – 1945) e a redemocratização do país, Rui Soares Palmeiras iniciou sua trajetória política nas eleições de 1945, elegendo-se deputado constituinte pela UDN com 3.319 votos, ficando em 5° lugar nas nove vagas em disputa. A eleição de 1947 foi realizada durante a presidência de Eurico Gaspar Dutra (PSD). A hegemonia da política alagoana estava sob o domínio da família Góis Monteiro, que comandava o PSD em Alagoas e Pedro Aurélio de Góis Monteiro era o chefe político da família. Silvestre Péricles de Góis Monteiro (PSD) foi escolhido pelo grupo para ser candidato ao governo do Estado. O adversário de Silvestre foi Rui Palmeira (UDN). Silvestre foi eleito com 33.900 votos (59,71%) e Rui ficou em segundo lugar com 22.876 votos (40,29%). Rui Palmeira, depois da derrota sofrida para o governo do Estado nas eleições de 1947, volta a disputar um novo pleito nas eleições 1950, no qual foi eleito pela segunda vez deputado Federal pela UDN com 8.370 votos, ficando em 2° lugar. As eleições estaduais de Alagoas em 1954, somente tiveram disputas para os cargos de deputado estadual (35 vagas), deputado federal (9 vagas) e 2 vagas para o senado. Rui Palmeira (UDN) alçou voos mais altos e foi eleito para o Senado em 2° lugar com uma votação de 56.674 votos (26,19%). Freitas Cavalcanti (UDN) ficou em 1°  lugar com 60.061 votos (27,76%). Rui Palmeira (UDN)  foi reeleito nas eleições de 1962 para o Senado da República nas duas vagas em disputa. Ficou em 2° lugar com 50.303 votos (20,90%). Arnon de Melo (PDC) foi o primeiro colocado com 66.260 votos (27,53%). Rui, nessa legislatura, foi primeiro-secretário da mesa e depois vice-presidente do Senado em 1963, sendo reconduzido à vice-liderança da minoria em 1964. Após o movimento político-militar de março deste ano, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior implantação do bipartidarismo, ele filiou-se ao partido governista, a Aliança Renovadora Nacional (Arena).  Nas eleições de 1965, Rui Palmeira (UDN) foi pela segunda vez candidato ao governo de Alagoas, não logrando êxito, ficando em segundo lugar com 43.707 votos (32,33%). Em primeiro lugar foi Muniz Falcão com 59.338 votos (43,90%), porém a vitória de Muniz foi esbarrada na Emenda Constitucional nº 13, promulgada em 8 de abril de 1965, que exigia a maioria absoluta de votos para a homologação do resultado e caberia à Assembleia Legislativa resolver o impasse; contudo, por vinte votos contrários ele foi derrotado. A partir de então, o Estado de Alagoas passou a ser governado por um interventor federal, General João Tubino até o momento em que os deputados estaduais escolhessem o novo Governador, conforme previa o Ato Institucional nº3 que legitimou a eleição indireta de Lamenha Filho para governar o Estado e cuja posse aconteceu em 15 de agosto de 1966. Rui Palmeira faleceu no dia 16 de dezembro de 1968, em pleno exercício de seu mandato no Senado, sendo substituído pelo suplente Mário Gomes de Barros.  

  • Caixa começa a receber apostas para a Mega da Virada
    on novembro 12, 2019 at 10:24 am

    A Caixa Econômica Federal começou a receber, hoje (11), as apostas para a Mega da Virada 2019. A estimativa de prêmio para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.220 da Mega-Sena é de R$ 300 milhões. O sorteio será realizado no dia 31 de dezembro. Como nos demais concursos especiais, o prêmio principal da Mega da Virada não acumula. Caso nenhuma aposta seja premiada com os seis números, o prêmio será rateado entre os acertadores de cinco números ou, ainda não havendo ganhador, de quatro números. As apostas do concurso especial custam o mesmo valor da Mega-Sena regular, R$ 4,50, e podem ser feitas por maiores de 18 anos em qualquer lotérica do Brasil, usando o volante específico da Mega da Virada. Também é possível apostar pelo portal Loterias Online e pelo aplicativo Loterias Caixa, disponível para usuários da plataforma iOS. Os titulares de conta corrente na Caixa ainda podem fazer suas apostas utilizando o Internet Banking. Bolão Os apostadores da Mega da Virada também podem concorrer nos bolões. Basta formar um grupo, escolher os números da aposta, marcar a quantidade de cotas e registrar em qualquer uma das lotéricas do país. Ao ser registrada no sistema, a aposta gera um recibo de cota para cada participante que, em caso de premiação, poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente. Os bolões da Mega têm preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 5. É possível realizar um bolão de no mínimo duas e no máximo 100 cotas. O apostador também pode adquirir cotas de bolões organizados pelas lotéricas. Basta solicitar ao atendente a quantidade de cotas que deseja e guardar o recibo para conferir a aposta no dia do sorteio. Nesse caso, poderá pagar uma tarifa de serviço adicional de até 35% do valor da cota, a critério da lotérica.

  • Feriadão: Expectativa de ocupação hoteleira é de mais de 90%
    on novembro 12, 2019 at 10:00 am

    Mais um feriado se aproxima e os números do turismo de Maceió já apontam para resultados positivos. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas (ABIH-AL), a previsão é que 92% dos leitos hoteleiros de Maceió estejam ocupados no feriado prolongado da Proclamação da República, no próximo dia 15 de novembro. A média de ocupação dos 56 hotéis associados da capital alagoana é 0,39% a mais do que o registrado no ano passado.  Em um levantamento realizado pelo Hotel Urbano – Hurb, agência de viagens online, publicado no mês passado, os locais de praia são os mais procurados pelos turistas para passar o feriado prolongado. No ranking, Maceió ocupa o 6º lugar como o destino mais procurado da plataforma para o feriadão da Proclamação da República. De acordo com o gestor da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), Jair Galvão, estes dados comprovam  o bom desempenho do setor, que trabalha com iniciativas públicas e privadas de forma sinérgica para o desenvolvimento turístico do destino.  “O Destino Maceió cada vez mais tem registrado importantes indicadores. E isso é fruto de medidas adotadas pela Prefeitura de Maceió em parceria com o trade turístico, para fortalecer e promover os nossos atrativos – que já é consolidado como um dos mais procurados do Brasil. O reforço na malha aérea alagoana, as ações promocionais e de capacitações realizadas pela Semtel com agentes de viagens; a participação em feiras importantes – que estreitam os relacionamentos com os mercados emissores para Maceió -, todo esse trabalho de base tem se revertido em números que comprovam que estamos no caminho certo”, ressaltou o secretário.  Além da variedade dos atrativos, a Semtel se divide em várias frentes para manter Maceió como um dos destinos mais procurados pelos turistas brasileiros. São diversas ações de estruturação, planejamento e marketing. Há um trabalho continuo, ao longo de todo o ano, para nivelar a sazonalidade, investindo em eventos regionais que valorizam a cultura local, como a já consagrada iluminação natalina e o Natal dos Folguedos –  que antecipam a alta temporada de verão e mantêm a ocupação hoteleira antes e durante das festas de fim de ano. Monitoramento das praias  A Prefeitura de Maceió, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), lançou uma plataforma digital de monitoramento diário das principais praias turísticas da capital alagoana. O site, que pode ser acessado pelo link https://observatorioturismo.maceio.al.gov.br/monitoramento-praias-maceio/, conta com apoio do trade turístico e reúne informações oficiais, em um canal de comunicação direto com turistas e maceioenses, sobre as manchas de óleo que atingem o litoral nordestino. Embora até o momento a capital alagoana não tenha apresentado registros significativos do resíduo, a plataforma disponibiliza informações sobre a balneabilidade das praias, vídeos e imagens diárias sobre o destino, além de outros conteúdos que divulgam os atrativos naturais e o trabalho de monitoramento realizado pelos órgãos públicos locais.  



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *